Curtir

quarta-feira, julho 13

13

E se a Estrela da Morte fosse construída?



Boa noite leitores.
Hoje me deparei com algo que me chamou muito a atenção e acho que ira chamar a de vocês também.
Creio que em algum momento de sua vida (a não ser que você viva em uma caverna sem amigos e algum meio de comunicação e entretenimento por perto) já deve ter ouvido falar de Star Wars. Sim, aquele dos sabres de luz e do caminho da força. Pois então... muitos devem se lembrar de uma das armas mais apelonas que já surgiu nas telonas: a Death Star. Que com seu poder apelonico, ela pode literalmente esfacelar planetas inteiros. A arma definitiva do Império. Em algum momento alguém muito fanático, ou alguém muito doido, ou algum curioso, ou qualquer um deve ter se perguntado: é se algum governo ou qualquer outro financiador resolve-se construir isso:


Não faço ideia de como e com certeza os números não passam de suposições, mas é interessante imaginar como seria nos dias de hoje para fazer tamanha proeza. Um cara, não identificado (um nerd total) fez uns cálculos malucos e chegou na seguinte conclusão: 

Death Star possuía cerca de 160 km de diâmetro. Resultando em um volume de 17,16 quadrilhões de metros cúbicos, estimando que apenas um décimo de tudo seria sólido (ou seja, não seria a bola toda coberta de metal, apenas a parte de fora e parte da camada interna, como em uma casa mesmo), teríamos apenas 1,71 quadrilhões de metros cúbicos de metal, que pesariam 134  quatrilhões de toneladas. 

Chuck Norris Facts: 134  quatrilhões de toneladas é o peso que ele usa para malhar o dedo mindinho.


Ok, ok... é viavelmente impossível fazer isso nos dias de hoje, não há tanto metal disponível, mas vamos continuar:

Em média, uma tonelada de metal custa U$ 962 (não sei que fontes ele usou para dar esse valor), logo precisaríamos da incrível quantia de U$ 12.950.000.000.000.000.000.000 para construir a arma de destruição de planetas. Devemos notar que nem se juntarmos todo o dinheiro do mundo atualmente seria possível ter todo esse valor, mas não acabou por ai. 



Como bem sabemos, ela fica no espaço, mas esse é apenas o custo para construí-la dentro da atmosfera terrestre (para os dias de hoje, é humanamente impossível construir no espaço). Atualmente custa 95 milhões de dólares para transportar uma tonelada de material para o espaço. Isso significa que para transportar a  Death Star pronta para o espaço seriam 12,79 septilhões destinado apenas para esta finalidade. 

Pegue os 21.060.000 milhões de metros cúbicos de nitrogênio e 1,96 trilhões de metros cúbicos de oxigênio que são necessários para fazer toda a Death Star possuir ar respirável em seu interior, o que de acordo com o cálculo do cara custaria 212,462,81 multiplicados à décima-quinta potência de 10 em dólares (o número é tão alto que ele colocou em potencia), respectivamente, para lançar no espaço. 

Loucura não? 

Somente considerando esses fatores (não incluindo os computadores, os meios de transporte secundários, combustível  milhares de quilômetros de cabos e afins, sem falar na mão de obra e no tempo para fazer isso). tem um custo de U$ 15.602.022.489.829.821.422.840.226 com 94 centavos. 

Isto significa que a construção de uma Estrela da Morte, juntando com o valor para coloca-la em órbita custaria 1110000000000 vezes a quantidade de dólares no mundo!!!!!!! 



E para finalizar: para guardar este dinheiro em dólar vivo, seria necessário o equivalente ao espaço ocupado por 10,3 Estrelas da morte! Multiplique os 10,3 pelo diâmetro da estrela da morte e vamos ter 1648 quilômetros de notinhas verdinhas. Juro, me contentava só com 100 metros de verdinhas. hauahauahauaha

Duvida dos cálculos? 

Comentem!